NotíciasHome / Notícias / PROPOSTAS DA GESTÃO DA SB...
Propostas da gestão da SBMFC 2016-2018 18/07/2016

 Núcleo Gestor (Presidência, Vice-presidência, Secretaria-Geral e Diretoria Administrativo e Financeiro):

  - Fortalecer o conselho, com a aproximação as estaduais, para que ele possa assumir seu papel de pautar as ações da diretoria.

- Apoiar as atividades da presidência e buscar viabilizar as atividades dos demais diretores.

- Participar na organização dos eventos científicos desenvolvidos pela SBMFC.

- Promover a filiação de novos associados para a SBMFC e suas entidades filiadas, por todos os meios cabíveis e utilizando todos os cadastros e outras informações disponíveis;

- Colaborar na criação e apoio à organização e consolidação de Associações Estaduais;

- Desenvolver mecanismos indutores para aumento de sócios da SBMFC, como parcerias com Secretarias de Saúde e outros grupos que concentrem MFCs.

- Criar oportunidades para geração de recursos financeiros para a SBMFC como a comercialização de aplicativos, programas e prontuários eletrônicos para APS.

- Desenvolver campanhas para regularização da situação de inadimplência de sócios atuais da SBMFC.

- Criar cursos formativos com o selo da Sociedade que poderiam ser oferecidos a gestão de municípios.

- Melhorar mecanismos de prestação de contas aos sócios, como espaço de transparência para a Sociedade. 

 

Diretoria Científica e de Desenvolvimento profissional contínuo:

- Promover a Integração e Aprimoramento entre os 03 eixos desta diretoria científica a saber, Pesquisa em APS/MFC, Edição da Revista e Educação Permanente/Desenvolvimento Profissional Continuado;

- Avançar nas publicações e atualizações do Projeto Diretrizes da nossa Sociedade com as demais que compõem o CFM/AMB

- Aprimorar a revista brasileira de MFC, mantendo-a com periodicidade regular e qualificar suas publicações e linha editorial de acordo com as principais recomendações, normas técnicas e éticas internacionais;

- Estimular Cursos Presenciais e mediados por ferramentas de telecomunicação ( EAD) para qualificação de seus associados

- Estabelecer Parcerias com demais sociedades nacionais e internacionais de pesquisa e  de fomento à pesquisa , bem como novas experiências de formação em MFC

- Estimular o desenvolvimento científico das sociedades estaduais e integrá-las no GT de Produção Científica

- Estabelecer as Prioridades de Desenvolvimento Estratégico em Pesquisa e Produção Científica

 para nossa Sociedade a partir de um planejamento ascendente das sociedades estaduais

- Propor publicações próprias ou traduções em parceria com editoras

- Identificar os MFCs que estão em atuação nas Instituições de Ensino Superior e fomentar suas publicações na Graduação, Pós Graduação, Linhas de Pesquisa Lato Sensu e Strictu Sensu.

 

 Diretoria de Graduação e Pós-Graduação Stricto Sensu:

 - Fortalecer a inserção das disciplinas relacionadas a Medicina de Família e Comunidade (MFC) e Atenção Primária à Saúde (APS) nos currículos das Faculdades de Medicina brasileiras, através da discussão com as instituições de ensino superior (IES) e Associação Brasileira de Educação Médica (ABEM), de acordo com as Novas Diretrizes Curriculares Nacionais. 

- Mapear professores e preceptores com formação na área de MFC, envolvidos com o ensino na graduação, torna-se tarefa essencial na construção desta rede. Além da reativação do GT de Ensinagem, realizada na última gestão, sua manutenção e fortalecimento são tarefas fundamentais neste novo desafio.

- Apoiar à criação e manutenção de Ligas Acadêmicas, com abertura de espaços nos Congressos e suporte para realização de eventos. 

- Estimular à criação de Programas de Pós-Graduação na área de MFC, além do fortalecimento de linhas de pesquisa já existente, com ênfase nas áreas de APS e Saúde da Família, destacando o PROFSAÚDE. Para isto, torna-se importante uma maior aproximação com a CAPES e outras entidades com as quais possamos interagir sinergicamente.

  

Diretoria de Residência Médica Pós-Graduação Lato Sensu:

 - Discutir com os Ministérios da Saúde (MS) e da Educação (MEC), a consolidação da criação de vagas de residência para todos os egressos de graduação e que o total de vagas de residência médica em MFC ofertado seja de, pelo menos, 40%.

- Buscar incentivos e desenvolver estratégias para a redução da ociosidade de vagas, através de políticas de financiamento para complementação de bolsas de residência e de bolsas para preceptoria.

- Discutir com a CNRM, CFM e AMB a oficialização da Medicina Rural como área de atuação da MFC no Brasil.

- Discutir com a CNRM, CFM e AMB sobre a criação de áreas de atuação para a MFC, como Atenção Domiciliar.

- Desenvolver estratégias para acompanhamento dos novos serviços de residência em MFC credenciados.

- Desenvolver estratégias para avaliação dos programas de residência, assim como a certificação dos programas pela SBMFC.

- Aliar estratégias de certificação de programas ao TEMFC, aumentando o número de titulados em MFC, junto com a diretoria de titulação.

- Desenvolver a rede colaborativa entre os programas de residência em MFC.

- Implementar oficinas de formação e de capacitação de preceptores, desenvolvendo formatos presenciais e a distância.

 

Diretoria de Titulação e Certificação:

 - Manter provas de título semestrais, sempre que possível descentralizada.

- Buscar titular progressivamente os profissionais atuando na Atenção Primária de todo o país.

- Avançar para provas com componente prático incluindo outros fatores cognitivos e com ênfase na comunicação clínica.

- Projetar uma titulação em larga escalar por currículo ou vinculada a um curso de formação em Medicina de Família e Comunidade.

 

Diretoria de Exercício Profissional e Mercado de Trabalho:

 - Coordenar a Comissão de Exercício Profissional da SBMFC promovendo discussões sobre Plano de Carreira, formas de remuneração e contratos de trabalho na Comissão e nos Congressos e eventos da Sociedade;

- Fortalecer nossa participação nas Câmaras Técnicas de Medicina de Família do CFM;

- Trabalhar junto as Associações Estaduais e Conselhos Regionais de Medicina incentivando a criação de Câmaras Técnicas de Medicina de Família/Atenção Primária a Saúde;

- Promover a Interlocução com as entidades médicas, principalmente Associação Médica Brasileira (AMB) e Federação Nacional dos Médicos (FENAM), e com instituições governamentais como o Ministério da Saúde em assuntos relacionados à área de Exercício Profissional e Mercado de Trabalho;

- Colaborar com a Presidência, outros membros da Diretoria, Comissões da SBMFC e Associações Estaduais filiada no que for demandado - incluindo a inserção do jovem médico no mercado de trabalho, formação e capacitação profissional.

Diretoria de Comunicação:

- Fortalecer a imagem da MFC perante os diversos meios de comunicação; 
- Intensificar as ações de divulgação da MFC, especialmente a mobilização regional através das estaduais filiadas; 
- Posicionar a SBMFC enquanto interlocutora estratégico sobre temas relacionados à especialidade junto aos veículos mais relevantes; 
- Incentivar, receber e divulgar publicações culturais dos MFC, aproximando o cotidiano da especialidade da sociedade em geral como forma de promover os princípios da especialidade; 
- Aprimorar o boletim de notícias, o Jornal Saúde da Família e as páginas em redes sociais, aumentando a participação dos associados na elaboração de conteúdo e incentivando a divulgação de atividades das associações estaduais e dos GT da SBMFC; 
- Estimular a divulgação de experiências de inserção da MFC na graduação em medicina, visando aproximar os estudantes de medicina da especialidade; 

- Divulgar e promover os eventos nacionais e internacionais ligados à MFC, com especial atenção para o Wonca-2016 (Rio), CIMF-2017 (Lima, Peru) e CBMFC-2017 (Curitiba), além dos eventos regionais. 

 

Diretoria de Medicina Rural

 - Avaliar e promover a inserção dos atributos da Medicina Rural nos currículos de graduação em Medicina

- Avaliar e promover a inserção das competências e atributos da Medicina Rural nos currículos das residências em MFC, além do incentivo e apoio da a criação de serviços de R3 em MFC com ênfase em Medicina Rural, conforme a criação da área de atuação em Medicina Rural.

- Desenvolver uma rede colaborativa de mobilidade acadêmica em áreas rurais e remotas para os cursos de graduação e RMFC

- Construir/divulgar a matriz de competências para graduação e residência, com enfoque em medicina rural, no intuito de consolidar a Medicina Rural como área de atuação da MFC junto aos órgãos competentes (CNRM, AMB, CFM)

- Produzir documentos que integrem a discussão sobre o provimento e fixação dos médicos em áreas rurais e remotas no Brasil

- Promover o debate sobre a feminilização da mão-de-obra médica e a ocupação dos postos de trabalho em áreas remotas e rurais

- Propor uma maior aproximação com as seccionais de cada associação estadual, para aumentar a aproximação da diretoria de Medicina Rural com os associados de áreas rurais e remotas.

- Incentivar a criação de diretorias rurais em cada associação estadual.

- Ampliar a oferta de educação continuada em assuntos de especificidades do médico de APS rural.

- Fortalecer o GT de Medicina Rural, principal veículo das ações da diretoria de Medicina Rural.

- Apoiar e incentivar o desenvolvimento científico da medicina rural, seja a nível nacional, seja em articulação internacional.

 

<< voltar às notícias

PARCEIROS

AFILIADOS