NotíciasHome / Notícias / BAIXA UMIDADE DO AR PREJ...
Baixa umidade do ar prejudica pessoas com pré-disposição a doenças respiratórias 13/09/2017

Comum nesta época do ano devido à falta de chuvas, a poluição associada a problemas de saúde já existentes, afeta o cotidiano da população. Manter equipamentos de inalação, umidificadores e ar-condicionado limpos é fundamental

A falta de chuvas, altas temperaturas e baixa umidade do ar nesta época de transição entre as estações inverno e primavera são comuns. As regiões de tempo mais seco como centro-oeste e sudeste sofrem ainda mais devido a poluição, porém Norte, Nordeste e Sul também são atingidos pela massa de ar que proporciona problemas à saúde de toda a população, independentemente da idade, e prejudica ainda mais as pessoas com problemas respiratórios como asma. As informações são do Grupo de Trabalho de Doenças Respiratórias da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC).

“Com a baixa da umidade o sistema respiratório sofre, especialmente aqueles que já têm alguma doença respiratória como asma. Outro grupo de pacientes que também merece atenção é o de pessoas que têm rinite alérgica, pois podem piorar, chegando a apresentar sangramentos nasais. Além disso, o ressecamento das mucosas pode diminuir a chegada das células de defesa e com isso aumentar a chance de uma infecção bacteriana se instalar, como sinusites e pneumonias”, explica William Salibe Filho, médico e membro do Grupo.

Como melhorar o ambiente

Uma das condutas mais usadas é a colocação de uma bacia com água ou molhar uma toalha e colocá-la no ambiente.  O local de maior atenção é o quarto, onde costuma-se passar mais tempo, principalmente a noite. “Vale lembrar que não se deve umidificar em excesso, pois a umidade demais pode facilitar a proliferação do mofo e causar também problemas respiratórios. Outras medidas são: beber muita água, usar soro fisiológico no nariz, hidratação da pele e uso de colírios apenas para lubrificação”, explica.

A inalação é um procedimento muito comum, com o intuito de diminuir o efeito da baixa umidade e pode ser feita somente com soro, entretanto proporciona alívio somente no momento da realização, após algumas horas o efeito de umidificar as vias aéreas acaba e seria necessário repetir e isso se torna uma dificuldade. “A alternativa é a umidificação do ambiente, pois assim o efeito é mais duradouro e temos melhor resultado. Outro cuidado é com limpeza do inalador, pois ele pode estar contaminado se não for limpo”, ressalta Salibe.

Os umidificadores podem ajudar, mas o maior cuidado é com a limpeza, devem ser limpos sempre, pois podem ser colônia para fungos e também em casos em que o ambiente fica muito úmido, pode-se tornar meio para proliferação ou formação do mofo. O umidificador esquenta a água e devemos tomar cuidado com queimaduras, principalmente nas crianças.

Sobre o uso do ar-condicionado: o aparelho retira a umidade do ar, o que pode prejudicar o sistema respiratório principalmente em asmáticos. Realizar a limpeza frequentemente e fazer a troca do filtro com a periodicidade indicada pelo fabricante são ações necessárias.

 Uso de descongestionantes nasais

 

Muitos dos descongestionantes nasais têm substâncias estimuladoras do sistema cardiovascular e ao longo do tempo podem provocar sérios danos ao coração. O ideal é usar soro fisiológico nasal e naqueles que têm rinite procurar um médico para o melhor tratamento, por isso não utilize os que são vendidos livres de prescrição médica em farmácias. Outro alerta é o cuidado de consumir medicamentos vendidos sem prescrição médica, pois além de não fazer o efeito desejado pode agravar as doenças respiratórias. 

Outra informação importante é o cuidado com a prática de atividade física neste período, deve-se beber muita água durante a atividade. O ideal é realizar atividade logo pela manhã e evitar o período entre 10h e 16h.  

Quando procurar um médico

Nos casos de descompensação do quadro respiratório, com presença de tosse com catarro, febre ou em asmáticos, a presença de chiado no peito ou falta de ar.  E principalmente nos pacientes que têm asma vale lembrar que existem tratamentos, como medicação inalatória, que evitam as crises, que são muito seguros e podem ajudar com este tempo seco, mas infelizmente ainda pouco prescritos no Brasil. Portanto o melhor remédio é a prevenção com cuidados básicos e caso tenha uma dúvida, procure sempre seu médico.

 

<< voltar às notícias

PARCEIROS

AFILIADOS