NotíciasHome / Notícias / 5º CIMF DEMONSTRA FORÇA D...
5º CIMF demonstra força da Medicina de Família e Comunidade na região Iberoamericana 25/08/2017

Entre os dias 16 e 19 de agosto, a cidade de Lima recebeu o 5º Congreso Iberoamericano de Medicina Familiar y Comunitaria com o tema Pasion por el cuidado de las personas. No Peru, a especialidade está crescendo e ganhando espaços estratégicos, o que também acontece em outros países da Região Iberoamericana.  Segundo María Sofía Cuba, presidente do congresso, de maneira progressiva, em muitos de nossos territórios, cada vez mais é visível a presença de médicos de família nas equipes de atenção primária e a crescente contribuição no cuidado da saúde das pessoas.

Cada Congresso da Confederação Iberoamericana de Medicina Familiar traz novidades relacionadas ao contexto e aos seus temas principais. Nesta edição, os destaques foram Inovação na APS; Tomada compartilhada de decisão; Atenção centrada na pessoa; Comunicação 2.0; Medicina familiar e equidade; Medicina minimamente invasiva. Já os eixos trabalhados foram Conceptos y Practicas en MFyC; Temas clínicos; Enseñanza-aprendizaje en MFyC/aps; Política y Gestión en Salud y MFyC e Investigación y MFyC. Os subtemas específicos de cada um destes eixos podem ser vistos no site: http://lima2017woncacimf.com/ejes_tematicos.html

“Um congresso iberomericano de Medicina de Família tem a grande importância e a oportunidade única de reunir médicos e médicas de família da região, para trocar experiências e fortalecer a rede e os laços de apoio e amizade para todos que desejam e trabalham por uma Atenção Primária à Saúde mais forte e qualificada com médicos e médicas de família nas equipes de saúde”, destaca Maria Inez Padula, Presidenta da Confederación Iberoamericana de Medicina Familiar. No marco do 5º CIMF, a WONCA Ibero Americana CIMF escreveu manifesto contra a violência e a intolerância. O documento está disponível na íntegra no link: MANIFESTO CONTRA A VIOLÊNCIA E A INTOLERÂNCIA.

Entre os mais de 500 trabalhos inscritos, 247 foram brasileiros. Segundo Maria Inez, esse número se deve ao Brasil, além das suas dimensões continentais, ser considerado hoje uma das referências na América Latina em termos de produção cientifica.

Anote na agenda, o próximo Congresso Iberoamericano de CIMF será realizado em maio de 2019 na cidade de Tijuana, Baixa Califórnia, no México, com expectativa de quatro mil congressistas.

 

SBMFC no CIMF

A SBMFC participou ativamente do CIMF, inclusive com organização e reunião de grupos de trabalho como Gênero, Sexualidade, Diversidade e Direitos, Saúde e Espiritualidade e Prevenção Quaternária.

A coordenadora do GT de Gênero, Sexualidade, Diversidade e Direitos da SBMFC, Débora Teixeira, explica que a reunião do GT aconteceu como parte da programação oficial do Congresso e reuniu médicos de família de diversos locais do Brasil, além de colegas do Peru e do Chile. “Tivemos também a participação de residentes, estudantes e profissionais de saúde que atuam na atenção primária. O encontro foi um espaço para compartilharmos nossas experiências e desafios no trabalho da APS no que se refere às questões de Sexualidade e na garantia de equidade ao acesso à saúde da população trans e LGBTQ+. Um dos encaminhamentos da reunião foi a organização de um seminário para o próximo ano 2018”, completa.

Reunião do GT de Gênero, Sexualidade, Diversidade e Direitos no CIMF

 

O GT em Saúde e Espiritualidade é trabalhado no Brasil desde 2013 com atuação de discussões, encontros e congressos regionais e nacionais, além da publicação de dois  artigos, um livro e aguarda a publicação de mais um artigo sobre o tema e de um capítulo na próxima edição do Tratado Brasileiro de MFC.

 

“A partir desse movimento crescente, que já reúne cerca de 120 pessoas na lista de e-mails, nos mobilizamos para construir espaços sobre Saúde e Espiritualidade na conferência da Wonca, realizada no Rio de Janeiro, em novembro do ano passado.  Durante as atividades do congresso mundial, reunimos representantes de outros cinco países da América Latina, além do Brasil. Como proposta de agenda para esse grupo internacional, pactuamos realizar atividades no congresso da CIMF, como forma de trocarmos experiências entre os participantes dos grupos dos diferentes países. Além disso, nos mobilizamos para articular a institucionalização de um grupo de trabalho iberoamericano em Saúde e Espiritualidade junto a CIMF, representante da Wonca em nossa macroregião. No dia 15 de agosto, a diretoria da Cumbre aprovou a proposta de criação do GT. Ou seja, já tivemos a oportunidade de atuar como um grupo durante o congresso da CIMF”, explica Janaine Camargo, coordenadora do GT.

 

Reunião do GT de Saúde e Espiritualidade na 21ª WONCA, no Rio de Janeiro, em novembro de 2017 

 

Durante o congresso da CIMF, o grupo organizou seis atividades, unindo representantes de cinco dos seis países articuladores do grupo desde o congresso da Wonca, com alta procura dos participantes. Foi realizada uma mesa redonda sobre Saúde e Espiritualidade na prática e no ensino, com representantes do Uruguai, Chile e Equador, duas oficinas, uma com representantes do Brasil, Paraguai e Uruguai, sobre a abordagem clínica da espiritualidade do MFC, com simulação de consultas e outra sobre a abordagem da espiritualidade em cuidados paliativos, com mediadores do Paraguai e Uruguai. Uma das apresentações orais premiadas pelo congresso também foi atividade de Miriam Riveros, membro do grupo no Paraguai. Os membros da Costa Rica, embora não tenham participado do congresso, contribuíram na construção das atividades.

 

Reunião GT de Saúde e Espiritualidade no CIMF  

 

Além das atividades de caráter formativo, também foi realizada a reunião do GT da CIMF, com o objetivo de planejar as próximas ações do grupo. Nessa reunião, mais de 30 pessoas participaram, somando-se ao grupo mais três países: Argentina, Peru e México, que traçou metas de trabalho em pesquisa sobre a percepção de espiritualidade dos médicos de família da América Latina, educação continuada sobre o tema para os membros e levantou pontos estratégicos de ação para o ensino na área. Além disso, foi pactuada a gestão participativa e descentralizada entre os países, sendo que cada um passará a ter um representante junto à coordenação geral do GT. 

 

Segundo Janaine, em toda região iberoamericana, o tema tem despertado grande interesse em todas as atividades realizadas pelo GT. “Compreendemos que a MFC é uma especialidade que se dedica ao cuidado integral da pessoa, que passa a ser compreendida em suas relações e contexto. Desse modo, o componente de sentido da vida, significado das vivências e construção de senso de propósito de vida da pessoa ganha espaço na abordagem clínica, constituindo a dimensão espiritual ou existencial da pessoa. Essa dimensão pode ser expressa por meio da religião, como ocorre maia comumente, mas também por relações com o sagrado que se manifestem por meio da natureza, da arte ou mesmo de valores pessoais”, explica.

 

Entre os temas mais procurados dentro do assunto, as pessoas buscam especialmente informações sobre a relação entre saúde e espiritualidade e como abordar essa questão na prática clínica com o paciente. Outro tema bastante procurado é a abordagem da espiritualidade ao final da vida. Durante as atividades do congresso também se destacaram o interesse pelo autoconhecimento, autocuidado do profissional e a como a espiritualidade pode ser ensinada na graduação e residência médica. Construir competências de ensino na área para o MFC é um dos próximos desafios do grupo. 

 

Além de ser parte do cuidado integral e da competência cultural do MFC, o tema também tem ganhado espaço devido a grande quantidade de evidencias de que a espiritualidade e a religiosidade das pessoas estão associadas com desfechos importantes em saúde. Como se trata de uma abordagem em que poucos médicos possuem treinamento, o interesse tem sido crescente. Em poucos meses de atividade foi construído um grupo bastante coeso na América Latina, já atingindo a nove países. Três sociedades nacionais de Medicina de Família e Comunidade já possuem grupos sobre o tema (Brasil, Chile e Equador) e a proposta de eleger coordenadores nacionais é uma iniciativa do GT da CIMF para apoiar o trabalho de novos grupos na área.

 

“Dada sua necessidade, o tema vem sendo bem aceito, contudo, é preciso ter o cuidado de manter os trabalhos do grupo orientados para o cuidado integral da pessoa, buscando a prática baseada em evidências qualitativas e quantitativas que possam nortear a prática profissional”, ressalta.

 

Para as próximas atividades, o grupo está apoiando iniciativas de espaços formativos nos congressos nacionais de MFC. Haverá uma mesa redonda no Congresso Chileno em outubro de 2017 e uma oficina no Congresso Equatoriano, em abril de 2018. No Brasil, temos participado de vários encontros regionais e promovido algumas oficinas pautada em treinamento teórico-prático sobre o tema. A próxima está prevista para 07 de outubro, em Ouro Preto.

 

Para o 14º Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade, em novembro de 2017, está confirmada uma oficina sobre aplicação clínica, uma roda de conversa sobre ensino-aprendizagem do tema e outra sobre a potência do amor na prática clínica. “Além disso, com o diálogo intercultural e epistemológico, teremos uma palestra com Monja Coen, representante da filosofia budista. Ainda no congresso brasileiro, teremos o lançamento do livro ‘Saúde e Espiritualidade: espiritualidade na formação profissional em saúde’, produzido pela faculdade Santa Marcelina, em parceria com vários membros do nosso grupo”, conclui Janaine.

 

<< voltar às notícias

PARCEIROS

AFILIADOS